quinta-feira, 1 de março de 2012

Planeamento familiar e a sua (in)eficácia. E mais umas histórias que lembrei à meio do texto.

Supostamente o planeamento familiar serve para informar às pessoas métodos de contracepção seguros e eficazes. E não só. As consultas são gratuitas.Também fornecem, gratuitamente, a pílula e os preservativos. Até aqui acho bastante importante o papel que têm perante à sociedade. Só não compreendo que para o fazer tenham dia e hora marcada, ou seja, vais ao posto médico buscar a pílula, e tens todo o direito para tal, mas só pode ser às terças-feiras das 12h às 13h. Porquê só a esta hora?? A maior parte da população está a trabalhar. Os trabalhadores não podem andar por aí (ainda por cima com esta altura que só se fala na crise) pedir uma hora ao patrão porque vai buscar a pílula ou preservativos. Óbvio, não? Um patrão que leve com esta pergunta em cima, irá logo pensar que não estás na tua plena faculdade mental. Vais o quê? Vais mas é trabalhar e à hora do almoço passas lá. Claro pessoas! Claro! Mas o mais engraçado não é essa parte. O mais ridículo de tudo é que as enfermeiras vão TODAS (que são muito poucas porque têm de cortar no pessoal) almoçar à essa mesma hora (das 12h às 13h). Simpático, não é? Supostamente um atendimento que teria, à partida, tudo para ser eficaz não passa de uma grandessíssima treta! E ainda levas com a má educação das senhoras enfermeiras que querem lá saber de ti. 
Esta história só me faz lembrar uma bastante engraçada. Aliás faz-me recordar várias experiências maravilhosas pelas quais passei nos hospitais. Uma delas é com vacinas. Eu detesto vacina. Eu odeio agulhas. Quando tenho de fazer um exame, lá tenho a família toda a telefonar se não desmaiei  ou se só chorei. Riam  à vontade porque já estou habituada. Isto é assim desde muito pequenina. Bem, estava a contar da vacina. Lá fui eu ao posto médico levar a porcaria da vacina do tétano. Aquela porra dói que se farta. Entro no gabinete e a enfermeira:
- Estás nervosa? Estás a tremer!
- Estou! Venho sozinha e tenho pânico de agulhas. Vai doer? (Já com as primeira lágrimas). Essa agulha é grande e se se partir é pior.
- Sim dói! (enquanto preparava aquela cena toda dos algodões, álcool e todo o resto). Amanhã não vais conseguir levantar o braço. Ficará assim 2 ou 3 dias. Talvez fique negro.
- An? 
- Pumba! Traz! 
- Agarrou-me pelo braço e espetou-me aquela porcaria assim sem sequer poder me preparar psicologicamente.
Mas isto lá se faz? E se a minha reacção fosse outra se não a de gelar e chorar completamente nervosa? Se eu mandasse aquela porcaria ao chão? Se lhe desse um estalo? E claro, não levantei o braço durante 2 ou 3 dias e ficou negro. Mas tudo porque ela foi uma bruta do pior! Se tivesse me dado tempo para controlar o nervosismo não teria sido assim... Sim, porque quando sei que vou às vacinas faço todo um processo calmaria para não parecer mais tontinha ainda. Até já consigui controlar a situação sem nenhuma lágrima. Porquê? Porque apanhei uma enfermeira bastante querida e que já estava habituada a lidar com crianças iguais. Apesar de eu ser adulta! ;)

3 comentários:

Adriana disse...

:D Obrigada, sim é verdade adoro. Já estive interessada em inscrever-me, mas tenho uma colega que já vende esses produtos e de outra marca tambem, logo posso dizer que já nao teria clientes... E por outro lado, nao sei se a tua irma te contou, mas a minha colega sempre me disse que nao recebiam nada nem amostras nem nada, apenas a "comissao"... o que achei um pouco estranho. Talvez noutra altura me inscreva... A tua irma já me tinha falado nas amostrinhas e nas maquilhagens!

Adriana disse...

Sim se calhar é isso. Já foste a algum "curso" de maquilhagem ou de outra coisa ?!( se já o que achas-te?!). Eu pensava que era "obrigatório" vender algo, e nao utilizar apenas o catalogo para uso proprio, mas parece-me bem! :D

FashionInPink disse...

Aqui também há horarios, mas é todos os dias.. um horario de manha e outra da parte da tarde. E é assim que deveriam ser não? Aiai, isto realmente há com cada coisa. Tambem odeio vacinas... E realmente um cuidado e uma palavra das enfermeiras acho que muda tudo.