sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Quando o sugarás?

Eu não sou nada de toar comprimidos e essas tretas, aliás, a única coisa que já me habituei a toar fo mesmo a pílula e mesmo assim... Agora com isto do ouvido receitaram-me uns anti-inflamatórios e umas gotas para pôr no sacana do oudido. O comprimidos tomei durante 3 dias e as gotas resolviaplicar hoe porque aquela sensação estranha de água lá dentro não passa. Acreditam que já tenho as gotas há mais de 1h e a porcaria do ouvido ainda nào as sugou? Que grande treta!

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Tenho o rabiosque quadrado!

Sentei-me frente ao computador eram 16h15, mais coisa menos coisa, para tratar de uns assuntos pendentes. Entretanto chama-me a minha mãe para jantar. Mas vamosjantar com as galinhas ou quê? Tudo bem. Vou para me llevantar e o telefone toca, era o A. a dizer-me que a palestra demorou mais do que previsto e que já não dava para me vir buscar para cafezinho. Ainda não tinha jantado sequer. E eu pensei: "Credo, anda tudo a comer com as galinhas" e quando olho para o relógio - 21h! Wow... juro que parece que tive no máximo 1h no computador! E nem tive a facebookear nem nada. Aliás, estive no facebook  mas a trabalho. Jantei e voltei para o meu cantinho. Tecla daqui e tecla dali e quando olhei: 1h da manhã. Amanhã há mais, mas só a noite porque de dia vou para o meu outro trabalho. Aquele em que basta se espirrar que é motivo para faltar,sabem? Esse mesmo!

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Gira o disco e toca o mesmo!

Estou extremamente cansada. Estou deitadinha na cama, no escurinho (sabe tão bem) do meu cantinho preferido e nem apetece me levantar. Ontem foi um dia extremamente cansativo. Já falei aqui várias vezes sobre o tema dos meus coleas faltarem por tudo e por nada, mas acho que já ultrapassou a barreira do ridículo. Ontem faltaram 2 colegas, uma da parte da loja e o cozinheiro. Eles são os melhores patrões do mundo? Anos-luz de distância,mas porra, vamos pensar nos colegas de trabalho. Essa minha colega que faltou tem um feitio daqueles, sabem? "Eu faço mais que os outros, eu sou pau para toda obra, eu faço isto, aquilo e mais alguma coisa, não me contrariem que eu mato um a porrada, é injusto eu ser a melhor trabalhadora e ganhar menos que todos, etc e tal". Pó caralhinh* que nem trabalhas mais que ninguém e se não faltasses tanto recebias o mesmo que nós. Ah e merdinha para ti, não és a maior trabalhadora que ali estás! Ah e todos ali recebem igual e ela sabe bem disso, só mesmo para ficar bem na foto. Acreditam que ela faltou no Domingo (dor de dentes e de ouvido), foi trabalhar na segunda-feira ( eu estava de folga) e pelos vistos disse à patroa que ia só montar a banca do peixe, visto que ela é a peixeira,e lá para as 9h da manhã tinha de ir embora (ela entrou as 7h30) porque tinha uma consulta com o filho. A patroa disse-lhe, obviamente,não. Se ela tivesse uma consulta à segunda-feira de manhã já devia saber antes, então porquê não avisou? E disse-lhe que muitas colegas estavam de folga e ela fazia falta naquelas horas de maior movimento. Pois, então deixou passar o movimento e zumbas! Assim que acalmou foi embora. Ontem faltou outra vez!!!! Regressou-lhe a dor de dentes e ouvido. Wtf?? E quem é que se lixa? As que lá estão que têm de fazer o seu trabalho e o dela!! Ontem saí do trabalho cansadíssima do corpo e da cabeça. Estou farta destas pessoas inresponsáveis que só contam os dias que faltam para irem para o fundo de desemprego chupar o Estado até ao tutano. Eu, tu e nós andamos a trabalhar para esta gente chupadoras de tutanos! Ontem estava a conversar com mi madre e ela realmente tem razão no que diz: "Filha, ela avisou que se não lhe dessem foga de sexta-feira à terça-feira de carnaval (riam-se faxavor que é para rir. Sim, a principesca quer FOLGAS de 6f à 3f de carnaval) que ela metia baixa. Ela simplesmente está a faltar uns dias antes para a baixa não ser completamente descabida. Caiu-me tudo! Se eu tivesse culhões estes também caíam de certeza. E eu: "Mãe, nem me lembrava dela andar sempre a ameaçar com isso". E mi madre: "Pois é, e para a tua patroa é igual. Ela falta e recebe menos e o trabalho aparece feito por outra qualquer, sejas tu ou outra colega". E é mesmo! A outra falta e está a marimbar-se para todos. Só eu é que sou a incoveniente que nem para mim sou boa. Esta semana também tive dor de ouvido. Quando? Na puta da minha folga! Bem, o melhor é. Me preparar que estou cá a pensar que ela só regressa depois do entrudo.

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Mais alguma coisa?

Depois de me ter um golpe em dois dedos, uma dorzinha de ouvido é sempre bem-vinda! Nunca tinha tido dores de ouvido, aliás, acho que tive uma mas foi há tantos anos que nem me lembro bem.. Esta noite foi terrível com tanta dor, mas depois da dor veio aquela sensação estranha de como se tivesse água lá dentro. Depois parece que dá uns estalinhos que parecem ar a sair. Não sei bem explicar a sensação mas pelo que li tudo isso deve-se às grandes altitudes que tive na Madeira,incluindo o vôo. Sinceramente penso que mais do que o vôo foram as áreas montanhosas de lá. Poça (ou como isso se escreve), que aquilo era só altos e baixos. Sítios com 27% de inclinação. Imaginem a subirem, subirem, subirem até enjoar e ali encontras um miradouro. Sais para saborear da vista e melhor do que isso é deparares que estás no meio do arco-íris. Isso mesmo, toquei no arco-íris. Digo-vos já que é tudo tretas. Não encontrei nenhum ursinho carinhoso muito menos o pote de ouro!

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Rica sorte!

Então não é que hoje de manhã a minha colega de trabalho faltou? A quem calhou montar a banca do peixe? Pois! Moi! Tudo muito bem até eu olhar para as luvas e vejo que tenho um dedo encharcado de sangue. Puta madre! Anda a rapariga a fugir da fobia e a fobia no "ai se eu te pego". Então foi quando percebir que tinha sido o cabrão do peixe-espada preto. Belo golpe desse tirano velhaco. Lá fui eu para o estanca-desinfecta-beca-beca. Mala suerte.

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Aquele momento em que te sentes a estúpida do sítio

Aconteceu comigo hoje no trabalho. Estava a ajudar na parte do restaurante, bastante movimento, quando vou cortar o pão e zás! Um golpe no dedo com uma faca de serra. Ok, dói, sai sangue, desinfecta-se,estanca-se  o sangue, tudo normal,.. Não! Não sou capaz de fazer isso tudo porque sou daquelas que quando vê sangue (não desmaio) começa a panicar, a tremer, a chorar, etc e tal. É que os meus primeiros pensamentos são - shame on me- que vou ter de levar pontos e, consecutivamente, anestesia, ou seja, que poderá implicar agulhas. Medo! Sim, fobia digamos. Juro-vos que adorava não ter isto,mas não consigo. Bem, continuemos. Entrei pela cozinha a dentro e calmamente (mentira! Já tremia por todo lado) digo-lhes: Cortei-me. Começo por colocar o dedo em água fria para deixar de ver sangue. Ninguém fazia nada e eu: Cortei-me e o golpe é muito fundo. A cozinheira olhou para mim e pediu-me para ver, de seguida diz para estancar, pôr água oxigenada e pôr um penso. Eu tremia, panicava e pedi que alguém me ajudasse. É que isto é constrangedor para mim, não pensem que não, e o facto de nem conseguir olhar como deve ser é parvo mas é verdade. A cozinheira, carinhosamente apelidada po "Jóia" por todos nós, olhou para o meu dedo e diz: Não está tão fundo assim como uma vez já tive (há sempre alguém que quando partimos a unha a pessoa já partiu o braço). Quando olha para mim e vê-me encarnada, chorona e com ar de "entretanto caio para o lado", percebe que não estava a brincar e não lidava bem com aquilo. Passou-me água na cara e procedeu aos passos do limpar, estancar, desinfectar e beca beca. Entretanto acalmara o movimento e eu acalmara também da idiotice do dedo cortado. Voltei para a minha secção de trabalho, a caixa. Passadas umas horas a minha mãe foi aomeu local de trabalho dar-me um rrecado. Estava eu, a patroa e 2 colegas a tratar de umas coisas. Ela dá o recado e diz: "Tens um penso no dedo? (Li-lhe o pensamento: "ui, imagino ela a cortar-se e sem ninguém saber do pandam que vai ser"). No qual o meu colega diz: ela cortou-se, chorou e tal mas agora está melhor. E o que a mães fazem neste momento? Envergonham-te pois! Sai-se ela com esta frase: Pois, ela para ir fazer análises tem de ir acompanhada por mim. A última que fez chorou tanto que a senhora teve de tirar sangue com agulha das crianças. Todos riram da palhaça do circo. E há sempre alguém que sai-se com esta: E quando fores ter um filho como vai ser? E aposto que foi o que vocês pensaram quando leram isto. Toda gente diz isso e eu nunca soube responder só com o medo de pensar nas agulhas todas que se enfrentam durante os 9 meses. Será que há tratamentos para esta fobia? Vou investigar..

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Sabem aqueles dias em que

Chegas em casa deps do trabalho super cansada? Não te apetece falar, muito menos ouvir alguém? São esses dias em que todos querem falar, falar e falar contigo. Irrita-me! Irrita-me porque apetece-me dizer que não estou com paciência. Mas com que direito? Não posso fazê-lo porque de certeza que muitas das vezes passa-se o contrário, sou eu que chego a casa a debitar tudo e mais alguma coisa e têm de se aguentar à paparoca e ouvirem-me. O meu nível de irritação não é extremo, comparo-o com aquele momento, sabem?, em que estás grudada à tv há hora e meia a espera que digam algo importante e chega alguém e interrompe nesse exacto momento  e pumba! Já foste... Nào ouviste nada nem repetem a notícia. Porra que isso enerva! E muito.. rghhh!

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Estive na Madeira por uns dias

E cheguei a conclusão que é a ilha dos 10 euros. Tiram-te umas fotos - 10€! Queres andar de teleférico - 10€. Queres fazer alguma coisa e é tudo a 10€ ou mais. Nós demos a volta à ilha, ou quase, e achamos muita piada porque, principalmente no Funchal, qualquer sítio que íamos assim que entrássemos diziam: "Hello, welcome to Funchal" e nósrespondíamos "Bom dia, somos portugueses", notava-se logo que (apesar de serem sempre simpáticos) era uma pequena desilusão. Pois claro, sabem bem que não temos o mesmo poder de compra que um alemão ou um inglês. Uma outra coisa que reparamos foi que quando entrávamos em qualquer sítio para beber café ou um sumo, ficavam a pensar quanto iam nos cobrar. Tirando isso as pessoas do Funchal são super acessíveis e simpáticas. O mesmo não posso dizer de alguns sítios que visitamos lá para cima do Sol posto. Mas isso é como tudo e em todo lado há pessoas simpáticas e outras menos dotadas de simpatia. Fomos almoçar num sítio e quando entramos e dizemos "Boa tarde - em português" a senhora nos responde: "Boa tarde, vão ter de esperar muito tempo para almoçar porque temos um grupo grande para servir". E nós decidimos esperar porque estávamos no meio da montanha, com fome, e sem saber quantos km seria o próximo restaurante. Ainda nos fartamos de rir porque a cada 200m há um restaurante e porque o grupo enorme que ia almoçar era composto por 4 pessoas! Isso mesmo, 4 pessoas! Ingleses pois! Mas tirando isso a espetada em pau de louro era boa como tudo. Valeu a pena o tempo que estivemos a espera daquele enorme grupo de 4 ingleses a serem servidos. E é isso, falávamos português e éramos visto como o "turista pé-rapado". Mas vi coisas tão lindas que não há explicação, só mesmo visto pelas fotos. Depois meto cá umas giras.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Em terras de Alberto João Jardim

Em cada esquina tens uma sede do PSD seguido de um túnel. E mais saliento, cada quadrado tem 5 bananeiras e um campo de futebol sintético ao lado. Impressionante!

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Madeira! Madeira! Madeira!

Diz-se por aí que amanhã por esta hora já estou por terras de Alberto João Jardim! E o medo do avião? Nem vos conto. Medos à parte, o que aconselham visitar, comer, beber e afins?

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Foi tudo pelos ares mas não dá o braço a torcer.

Como é de conhecimento público, o país esteve este fim-de-semana em alerta vermelho e laranja devido ao mau tempo. Ondas gigantescas e vento forte. Por cá foi assim. Ainda por cima moro cerca de 5 km do mar, portanto imaginem o mau tempo por estas bandas, aliás, eu estava na zona vermelha do alerta. Mas isso não impediu a minha mãe de estender umas roupinhas. Eu disse-lhe: "Mãe,as rajadas para nossa zona são de 108km/h. Não inventes e deixa estar". A resposta: Eu coloquei bastante molas e é só um cobertor e uma toalha. Fui trabalhar e quando cheguei diz-me ela: "Não viste nenhuma toalha ali pelo chão?" E eu: Não, porque? Foi pelos ares com este vendaval? Achas? Não! De certeza que roubaram esses gatunos que andam por aí.. E eu: Oh mãe, estás bem a ver o tempo? De certeza que foi pelos ares!! E ela: Não, não. Roubaram! Ainda por cima que era um côr-de-rosa mesmo lindo. Resumindo, pensa mesmo que foi roubada e eu já nem insisti em lhe explicar que não se via viva alma na rua. Com o vento que estava a toalha já deve estar em Espanha, mas para a minha mãe a toalha pode estar em Espanha, mas alguém que a levou porqueo cor-de-rosa era mesmo a coisa maiii lindaa!

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Hoje, para variar, um colega

De trabalho faltou (como tenho vindo a contar,não há cú que aguente os patrões). Já começa a ser "O prato dia" por parte da equipa de trabalho. Como toda gente está farta de ser tratada como a escrava Isaura, começam a adoptar o método do faltar por qualquer motivo ou então o método do : "Ai que eu espirrei! Vou pôr baixa de trabalho". Voltando ao colega que faltou hoje, só para verem que não exagero no que conto, vou dizer-vos o horário dele. Ele trabalha comigo no supermercado mas ele está na parte do "restaurante", como cozinheiro, e eu na caixa do supermercado. Ele faz das 10h-15h e das 17h-até fechar, ou seja, muitas vezes por volta das 00h-01h da manhã. Resumidamente são cerca de 12 a 13 horas diárias. Ahh, quando a cozinheira está de folga, ele entra às 8h da matina. Mais duas horas de trabalho no lombo. E sabem quando ele folga? Não, não vou dizer nunca. O rapaz folga. Aliás, tem meia-folga à segunda-feira de manhã. Nesse dia ele entra somente as 17h. E o melhor?? Pois, o ordenado! O "desgraçado" recebe 650€ (com duodécimos,subsídio de alimentação e essas coisas incluídas). Há dias ele faltou meia tarde e os cabrões dos patrões descontaram-lhe 50€ do ordenado. Wow??? Ele tem de trabalhar quase três dias para ganhar isso. Sabem aquele pensamento hipócrita do "Ele é ukraniano,portanto tem mais é de sujeitar.." Xenófobos, racistas!! Há pouco ouvi o namorado da puta bipolar (para quem não sabe, é o nome carinhoso que eu e os meus colegas chamamos à nossa patroa) a dizer: "Ele falta, não avisa nem nada. Se não fôssemos nós, era um pobre coitado cheio de fome".. Que nojo de gente!! Oh meu grande parvalhão, com aquilo que tu pagas, com as horas que ele trabalha e com a maneira que vocês o tratam, a fome que ele tem é de te partir a fuça toda! Oh gentinha ignorante...

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

O Big boss

O big boss é o pai da puta bipolar,ou seja, o chefão-mor... Ai tanto que eu tenho para falar sobre esse "senhor", mas isso fica para depois. Vou contar-vos só sobre o episódio de hoje. De uma coisa não me posso queixar, tenho um trabalho em que tudo pode acontecer em 2 minutos. Tenho de estar sempre atenta porque nunca se sabe quando a bipolaridade vai atacar naquela família. Bem, retomando a história de hoje de manhã. Eu trabalho num supermercado que está dividido em duas partes, isto é, podes entrar por ambos os lados. De um lado é o take-away e do outro é o supermercado. Quando chega mercadoria, a entrada das mesmas é feita pela parte do take-away. O camião chegou eram meio-dia e meia e o Big urso (big boss) disse ao motorista que já estavam pessoas a almoçar e que teria de esperar que se acabasse a parte do almoço para descarregarem. Ele foi almoçar descansadinho da vida enquanto o motorista contava os minutos para descarregar. Perto das 14h, acabadinho de encher o bandulho, o Big urso já tinha almoçado e bebido as suas minis (e de uns tantos arrotos junto dos amigos), levantou-se e... pensam vocês (e eu também) que foi dar ordens para descarregar o camião. Claro que não!! Chamou o genro e foram comprar a horta para o supermercado (cerca de 70km dali), e o pobre do camionista à espera. Chegaram por voltas 17h, todos sorridentes, foram ter com o camionista e disseram: Dormiu bem a sesta chefe? WTF??? Que pensam esta gentalha???

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Eu trabalho

num supermercado e todos dias tenho de levar com uma senhora que diz: "oh menina, não deixem acabar os iogurtes de ameixa porque são os únicos que me dão vontade de fazer cocózinho!!" Oh please...

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Voltei...

Passou-se quase um ano que não venho cá. Tenho imensa pena mas às vezes não havia vontade, às vezes havia vontade mas não havia tempo. Um ano passou-se e muita coisa aconteceu, uma delas foi ter arranjado trabalho (e os patrões? oh my God!) com uns patrões do piorio. Ai credo, ao que uma pessoa está destinada só para uns euros no fim do mês. Só para terem a noção, hoje em dia acredito piamente que se apanham depressões no local de trabalho. Aliás, já ouviram falar de "patrões-que-pensam-que-os-empregados-são-escravos?" Tcharan.... São os meus! Eu trabalho num sítio que foi inaugurado há 7 meses e já 9 empregados demitiram-se. Éramos 10 no início. Sou uma surviver. Uns chegaram, viram como eram tratados, e logo abandonavam-me naquele mar pior que o canhão da nazaré. Já agora, alguém conhece alguma instituição que proteja os trabalhadores? Tipo a Associação protectora para empregados escravizados? Outra questão: É legal terem câmeras no trabalho que se gravem as conversas dos empregados? Ahhh sim, a paranoia é tanta que até no quintal somos filmados, e quando não consegue ouvir a conversa pergunta-nos directamente do que estávamos a falar. Amo a frase que sempre lhe respondo (ahhh porque essa invasão de privacidade não admito): Assuntos pessoais! Tomaaaaa... Embrulha sua vaca! Agora comigo é assim, insulto-a para dentro como se não houvesse amanhã! Amo! Cara-de-cavalo, vaca, cabra, puta bipolar, etc..são as mais queridas! Não me julguem má pessoa mas se eu estivesse aqui a dissertar sobre tudo isto, e tudo o que se passa no meu trbalho quem ficariam depressivos eram vocês. Hoje estive de folga e só de pensar que amanhã volto para aquele antro (carinhosamente apelidada de Casa dos Segredos por mim e pelos meus colegas) onde estará a puta bipolar, as 7h30, a vigiar nas câmeras se chegamos 10 segundos atrasados e poder mandar a boca: "parece feriado..."! As 7h30 da manhã. E agora pasmem-se que irei revelar o melhor: A puta bipolar tem 21 anos. É ou não para ficar depressivo? (Não, não é inveja. É só mesmo para saberem que uma miúda que nunca trabalhou, está à frente de um negócio e trata super mal os empregados. Empregados alguns que têm idade para ser a mãe dela).