terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Um amigo telefonou-me

muito triste. Pediu-me ajuda. Está muito cabisbaixo e eu já sabia. Levantei e fui logo ter com ele, dar um ombro amigo. Só não estava nada à espera do que ia ver. Deparei-me com ele trancado no seu quarto, luzes apagadas e em prantos. Chora, chora, chora. Não come, quase não se levanta da cama, nada de nada. Entristece-me muito os desamores. Com muito custo consegui levantá-lo da cama, obrigá-lo a sair e apanhar ar. Hoje está um belo dia de sol e é uma pena estar trancado. Trouxe-o à minha casa e obriguei-o a comer (até bolo de chocolate ele comeu. É uma vitória). Sei que entretanto está a ligar-me em prantos uma vez mais. Se ao menos eu pudesse contar-lhe toda a verdade....

2 comentários:

Solita disse...

Uiu, Uiu!!! E tem a ver com o post anterior não é?
Não queria estar no teu lugar.


Jinhos

Cara de Bolacha disse...

Exacto! Entretanto conto a história... :(